disfarces

Coloco a minha fantasia e apareço na janela. Num disfarce, a gente destrava o botão da vergonha e esquece. Os olhares alheios se desviam e me fazem deixar pra depois o que tem de ser feito. A vida fica arrumando desvios, caminhos improvisados, rotas alternativas para nos desafogar desse trânsito de confusões que a gente insiste em manter. Mesmo quando tudo insiste em sair dos trilhos, há sempre um jeito de apertar o freio, dar um banho de óleo e continuar.
Riso escondido, suor escorrendo atrás da máscara e uma imagem tão ridícula quanto engraçada no espelho. Riso solto, fim de festa e eu me fazendo presente, sem disfarces e sem reflexos, aos olhos de quem quiser ver.

Comentários

Tiago P. disse…
Eu vivo disfarsado. =D
Quem nunca se disfarçou que atire a primeira pedra. FALEI.
Mayara Cristine disse…
eu passo um tempinho sem vir aqui ler o chapéu e, quando retorno, sou invadida por um sentimento tão bom, é meio que um orgulho enorme por alguém conseguir escrever tão bem assim. e, ainda por cima, esse alguém ser minha amiga.

Postagens mais visitadas deste blog

tereza, não ames!

há de se ter um jeito

Carta para o meu avô