Sr. Black

Meu primo não veio, acho que só próximo mês. Mas, mesmo tendo ciúmes dele com meu avô, estou sentindo falta das suas lambidas e dos seus pêlos grudados nas minhas roupas. Lembrando das coisas dele, lembrei-me também doprimeiro cachorro da minha vida.

Queria ter o tido quando já estivesse um pouco maior. Ou então, não ter tido tanto medo do seu tamanho e dos seus dentes. Mas ter alisado sua cabeça pela grade da casinha, já me fez uma criança super corajosa. Ele era grande, comprido, umas patas alongadas, um focinho estirado e um sorriso lindo. Chegou pequeninho, dentro de uma caixa colorida. Presente da minha tia, já que a vó não deixou ela ficar com ele. Ainda bem. No entanto, por ser pequena e medrosa pra algumas coisas, nunca brinquei de correr com ele, nem deixei ele lamber meu rosto. Perdi a melhor parte. Mas fazia questão de levar bolachas de chocolate, pipoca e brincar com o grandão, ele dentro e eu fora da casinha. Depois que me mudei, nunca mais tive notícias dele. Se estava bem, alimentado, forte e bonitinho como era. Eu tinha uma vontade de ir até a casa onde meu pai o deixou e ver se ele ainda lembrava de mim. Desejo esse, que nunca foi realizado. Que o Deus dos cachorros o proteja com muito carinho e se ele já tiver ido para lá, que reservem um local grande, arejado e com água gelada, por favor! Sr. Black merece todo respeito e conforto!

-Na verdade, isso era o final do texto. O torto engoliu o começo! Tá doido pra ficar sem mãe por um dia. Tudo bem, amanhã, escrevo sobre a minha experiência assassina de matar caranguejos, e o meu desespero ao levar duas mordidas mortais!

-Infelizmente, minha lista de blog desaspareceu. Esta semana a faço novamente.

Comentários

Mayara Cristine disse…
me deu um peso na consciência, porque tem dias que eu entro e nem olho pra minha cachorrinha.

pode criar cachorro no teu predio?
.Gaby. disse…
owww!! q lindu seu texto!
dá p ficar imaginando cada cena.. tb num sei o q seria de mim sem meus 2 filhotes... eles sempre ficam taum felizes quando a gente xega em casa neh? os olhinhos taum felizes e akela vontande q não para de tá pulando na gente até levar uns carão!!
Cria um caxorrim pekeninim... dakeles q quase num latem... eu lhe apoio no protesto e força de cunvencimento cum os seus papais! ;)
.Gaby. disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
.Gaby. disse…
Ficou lindu o visual novu do chapéu!
O Autor, disse…
A beleza em escrever é justamente eternizar a saudade. Gosto disso!
bozo. disse…
esse texto me fez lembrar da cadela q eu tinha quando era criança.. =T
era mais ou menos desse jeito, morria de medo. =X
ehauaeh

beeijo amigo. =D
Carol disse…
Que bom que gostou do meu blog...!
vo escrever um texto novo agora.
passa la pra ver
bjs
Avilla Filho disse…
De fato, cachorros são as coisas mais lindas, fieis e adoraveis.
mas você era realmente uma garotinha corajosa, tenho certeza que o senhor black está muuuuuuuito bem e morre de saudades da pequena que o dava carinho e bolachas.
CARANGUEIJOS?
já fui mordido(?) por um, não sei porque usamos mordido, ele me mordeu com a pinça!

Postagens mais visitadas deste blog

Carta para o meu avô

tereza, não ames!

há de se ter um jeito