Confissão.

Achar uma pessoa chata é algo relativo. Uma pessoa pra ser chata precisa fazer algo que você não gosta ou fazer muito algo que você gosta muito até o ponto começa a achar essa pessoa muito chata. Mas, existem pessoas que eu acho chatas sem motivo algum aparente. Uma pessoa que nunca fiz nada por mim, nem me tratou mal, nem deu em cima do meu namorado, nem ficou falando besteira por segundos seguintes, nem pegou uma lapiseira e não devolvou tem tudo para ser uma boa pessoa, até legal, mas não é, simplesmente, pelo fato de eu achá-la chata.
Confesso que falar isso me faz lembrar daquelas pessoas otimistas, que acham tudo bom, dizendo: não se deixe levar por um primeira impressão ruim, tudo pode melhorar. Tomara mesmo que uma coisa ruim melhore, mas há pessoas que, nem eu tendo a décima impressão, vou deixar de achá-la incrivelmente irritante.
Existe pessoa que você conhece porque enfim, tem algo em comum você. Tipo, faz a mesma faculdade, assiste as mesmas aulas e por coincidência, ou não, senta próximo de você. É o tipo de pessoa que você fala porque conheceu ao acaso, e não porque escolheu para ser a sua amiga. Não estou dizendo que saio por aí escolhendo amigas, é um processo natural, que tem a ver com afinidade, essas coisas, mas tem gente que é irritante já de longe, imagina de perto, e imagina sendo amiga mesmo.
Escrevendo assim parece até que estou falando de especificamente de alguém. Na verdade, não, mas estou usando alguém como inspiração. Esse alguém é incrivelmente irritante, faz a mesma faculdade que eu, assiste as mesmas aulas e por coincidência, ou não, senta perto de mim, na minha frente e até fala comígo. Até fala comigo, conversa comigo. Retribuo os boa tarde, até converso, mas não deixo de achá-la fortemente irritante.
Hoje, estava eu fazendo algo - ou comendo, ou lendo, ou jogando sudoku no celular ou esperando a sala ficar livre (lógico que eu lembro o que estava fazendo, mas não vou dizer por motivo 'dúvida intecionalmente literária')- a menina chegou, se aproximou tanto que eu falei "a sala ainda não tá livre, já que ela ia assistir a mesma aula. Então, o ser humano diz:
-Não, não é isso não. Tu cortou o cabelo?
-Humrum.
-Ah - riu, desproximou e sentou no outro banco.
Desgraçada. Agora me diz, qual o motivo? Por que pessoas irritantes perguntam coisas irritantes de um jeito mais irritante ainda? Perguntas assim merecem um comentário, nem que seja "sabe que não ficou bom, num é?". Merece, não importa qual seja. Ficar calada nessas horas é o mesmo que dizer que o único jeito de ajeitar os cabelos é raspando e esperando nascer denovo. Eu sei, que se ela tivesse dito que não estava, eu teria me controlado para não dizer que gente buchechuda, com cabelo curto, mais parece um playmobil fora de forma. Certamente, conhecendo esse meu lado incrivelmente educado e calado em certas horas, não teria dito nada e continuaria fingindo que ela não existia ali.
Então, não pergunte coisas que você está vendo e sabe que é verdade á pessoas que apenas conhecem você, porque, enfim, não teve outro jeito. Isso não mostra uma intenção de aproximação, de amizade, de alguém que nota até os pequenos detalhes, algo dito 'de boa'. Não é! Mostra alguém metida, que quer aparecer e atrapalhar muitos dos meus momentos 'sozinha é melhor'. Não que eu seja uma isolada, autista, que não fala com as pessoas, que anda de cabeça baixa, com o cabelo na cara e está sempre lendo um livro que ninguém estaria lendo sem motivo. Apenas, tem momentos que 'sozinha é melhor'.
Tudo bem, eu leio livros estranhos e sem motivos. Confesso.
Principalmente, quando, não se sabe se a pessoa que você vai fazer uma pergunta idiota está com saco de ouvir uma pergunta idiota. Afinal, existe esses dias. Dias que você aguenta a mulher da lanchonete perguntando pela quarta vez se você quer leite no suco. Dias que você aguenta vendedora de loja dizendo para dar mais uma olhadinha. Dias que você aguenta e até procura, trinta centavos quando o trocador pergunta se você tem trinta centavos para facilitar, isso tendo uma fila enorme atrás de você, esperando, ou tentando entrar no ônibus. Enfim, dias de saco grande que até pessoas inteiramente chatas e irritantes, tornam-se engraçadas, ridículas ou, servem para fazer companhia quando, realmente, não há outra pessoa. Confesso.


Comentários

Tem novidades no Palavras da Kellen, e daqui pra frente vem muito mais, passa lá e me diz o que vc acha =D http://kellenpalavras.blogspot.com/
Caio Timbó disse…
"Tudo bem, eu leio livros estranhos e sem motivos. Confesso."
\o/
Não sou o único!
Concordo plenamente, exixte gente chata só pela cara.
Babi disse…
lembra que a gnt começou o blog na mesma época? que orgulho ver o torto grandão assim, viu? e mais orgulho ainda de te ver crescendo nas palavras.. você é linda e é uma artista de todas as áreas!
nem parece, mas eu moooorro de saudade de vc!
Jéssica Trabuco disse…
uhauhauha....
Eu te entendo, e entendo bem.
Tem pessoas que SIMPLESMENTE são chatas, não dá pra explicar!
E elas chegam justamente naqueles dias que a gente não tem paciência para mais nada.
Talvez seja por isso..
*O* nossa eu curti demais esse post flor. escreves mui bem!
Também leio livros estranhos.
Sou autista por opção as vezes. Depende de quem está em volta.

Postagens mais visitadas deste blog

Carta para o meu avô

tereza, não ames!

há de se ter um jeito