pensar no que se está pensando


Abro a porta de vidro
E dou de cara com uma parede cheia de janelas
Seguro a porta e fico observando pessoas se mexendo dentro das janelas.
Alguém dobra um pedaço de pano, outro alguém passeia pelo corredor
Então, lembro que alguém do outro lado pode estar olhando para a minha varanda e dizendo:
-uma menina segurando uma porta de vidro.
Procuro esse alguém nas janelas iluminadas e nada.
Procuro nas janelas escuras algum vulto, alguma sombra, algum contorno de gente fitando a minha janela.
Não, não tem ninguém.
Não deve ser interessante ficar olhando para alguém segurarando uma porta de vidro.
Poderia eu dançar, tirar a roupa, gritar, chamar aquela mulher que está assistindo tv.
Mas não.
Eu fui até a varanda pra receber um pouco de vento, ver o movimento da rua antes de dormir.
Seguro a porta para não bater e começo a pensar no que estou pensando.
Quando se pensa no que está pensando pensa-se que está se pensando em nada.
É verdade. Testa.
Agora, estou pensando que estou pensando no que escrever aqui.
Deixo de ordenar meus pensamentos e coloco o que vier, sem ordem mesmo.
Água gelada, a prova de estatística, o ônibus lotado, sair de casa meio dia, o livro que tenho que comprar, o sabor horrível da pasta de dente, não tem banana pra comer amanhã de manhã, não tenho grafite 07...
Só pensar. E escrever.
É, fecho a porta de vidro e continuo vendo o mundo lá fora.
E o mundo continua lá fora.
Eu sou apenas mais uma no meio de tantas janelas acesas.

Boa noite, chapéu =*

Comentários

vc já viu o filme do Alfred Hitchcock intitulado "Janela Indiscreta"? é um clássico.

lembro daquele desenho bem colorido que vc fez da rua do chapéu torto, vc sabe criar desenhos bonitos. não esquenta com a paçoca, que Brasília não tem nenhuma rua que chegue aos pés da sua.

e Estatística, ao contrário da Estática Mecânica, não tem comprovação científica. é apenas um palpite mais próximo do talvez correto. e... palpite nasceu no crânio de quem teve meningite!

gostei muito da tua foto.



abraço
Marcos
Erica Ferro disse…
Mais uma na multidão, mas não qualquer uma. ;)

E é tão bom deixar as palavras tomarem o rumo que elas bem entenderem, né?
Só escrever!
Cau. disse…
Me identifico. Não tem banana pra comer amanhã cedo e acabou minha grafite 0,7. Lá fora, um turbilhão de janelas onde cada um vive sua vida e, em algum momento, cada uma dessas pessoas vão sair pela varanda e pensar no q estão pensando.
Tiago P. disse…
Estou pensando no que pensar sobre seu post. Estou postando o que pensei sobre seu pensamento.

Estou maluco dando nós nos pensamntos. Neuronios se suicidam nesse momento.

Enfim...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ceres disse…
caramba... bom demais, quase terapêutico te ler.

boa a proposta de escrever por escrever, de fazer algo novo. Mas pessoas acomodam-se, revoltam-se e acomodam-se novamente, até quero saber porque.

Postagens mais visitadas deste blog

Carta para o meu avô

tereza, não ames!

há de se ter um jeito