Tenho que fazer algo com você
Não sei mais onde colocar tantas lembranças suas
Me pego pensando no que você pode estar fazendo agora
Se o seu trabalho está indo bem
Se você está bem


Eu sei das suas alergias
Notava que seu nariz estava mal pelo telefone
E você só dizia
Sempre é assim


Está vendo? Não tenho mais que me preocupar com você
Mesmo assim continuo a te espalhar pelo meu corpo, minha mente
Só você, você
O tempo passa, o dia passa, as pessoas passam
E você insiste em ficar


Já te mandei embora
Ja gritei alto que não te queria mais
Você fez sua parte
Foi embora e nem olhou para trás
Me deixou
Eu que não te deixei


Já assassinei a minha esperança
Ela foi a primeira a morrer
A tiros de persitência, a facas de teimosia e gritos sufocados de saudade
Não teve jeito
Ela me assombra nos sonhos
Que nem você.

Comentários

Camilla disse…
Genteeeeee que postagem perfeitaa..
muito linda..mto verdadeira tbm!
adoreii
;D

Postagens mais visitadas deste blog

Carta para o meu avô

tereza, não ames!

há de se ter um jeito