sentindo a noite


Pela janela eu vejo a cidade pulsando. São infinitos pontos de luz rasgando o escuro da noite. Meu coração pulsa e me deixa viva. A única luz que lá dentro ilumina é que os olhos insistem em ver. O sol já foi embora há tempos e a cidade já começou a dormir. É no silêncio da madrugada que as coisas emitem seus sons mais puros. As luzes da cidade iluminam ruas vazias e portas fechadas. Iluminam corações que de tão aflitos preferem vagar no sossego da noite. Um sinfonia de latidos começa e perfura a paz que rege o sono. Não tenho sono e meu coração anda nas ruas do pensamento atrás de alguma razão que o conforte. A emoção que antes se fazia tão presente se foi com o vento que passou quase agora. Durmo, não para descansar o corpo e sim para sonhar. Sonho, não para imaginar coisas impossíveis e sim para fazer com que o amor que existe em mim não morra.

Relâmpagos brincam de enfeitar o céu. Trovões enchem de música esse silêncio que tanto acalma como desespera. A chuva está chegando e eu estou indo.

Comentários

Aline V. disse…
adorooo a noite...=p

beijinhos
C. Luz disse…
adoro ler teu blog! :)
Bertonie disse…
Adoro seus textos. São tão leves e tão intensos. Já leu Clarice Lispectos. Há alguma coisa nela que acho que está presente em teus escritos.
Aqui também vem chovendo muito, e enquanto a cidade anda, meu coração também vaga por aí procurando um sentido pra tudo isso.



beigos mil
Flor disse…
Cara, que lindo!
Que lindo, que delícia de ler teu escrito. Arrepiei.

Um beijo.
Moisés Loureiro disse…
outro desse eu choro!
;DD
liindo, como sempre!
beeijos.
GrandeR@O disse…
"É no silêncio da madrugada que as coisas emitem seus sons mais puros"
adorei essa parte
bjus

Postagens mais visitadas deste blog

Carta para o meu avô

tereza, não ames!

há de se ter um jeito