a mortal dentadura de leite


Minha prima está bangela. Ela está, mais do que nunca, com cara e jeito de criança. O dente de leite da frente caiu e agora tem uma janelinha que deixa a língua com vontade de sair. Ela sorri sem motivos e, quando alguém chega, ela logo mostra o lugar do dente que vai nascer forte e com ondinhas, o chamado dente permanente. Não sei se ela terá a sorte de ficar banguela dos dois dentes da frente ao mesmo tempo. A queda de um dente, faz as crianças se sentirem grandes. Aqueles dentes que nasceram quando elas eram ainda bebês estão caindo e estão chegando os dentes que irão sorrir vendo as fotos da infância, que irão morder outras bocas, que irão encostar nos dentes do outro nos segundos do primeiro beijo.
Não se faz clareamento e nem coloca-se aparelho em dentes de leite. Eles duram tão pouco tempo, que é um crime machucá-los com toda aquela aparelhagem dos consultórios dos dentistas. Os dentes de leite ensinam as crianças a encarar a dor. Quem disse que arrancar um dente não dói? Por mais que ele esteja soltinho e qualquer empurrão da língua o faça cair, ficar bangelo doí. Idéias loucas surgem daqueles que já têm os últimos dentes da vida antes da dentadura, como amarrar fio dental no dente e puxar; comer algo duro para o dentinho ficar preso; passar gelo até ficar dormente e puxar com uma força capaz de balançar um caminhão. Isso é tortura! Dente de leite que se preze cai de tanto balançar para frente e para trás com os dedos da própria criança!
E quem nunca teve medo de engolir o dente mole quando estivesse dormindo? Isso já foi usado por muitos adultos para assustar as crianças, e as fazerem tirar aquele dente de leite da boca mole depressa. "Se não tirar agora, vai engolir quando estiver dormindo".
Criança, cuide do que é seu. Nem que seja um pequeno e mortal dente de leite.
Prima, fazendo as contas, ainda faltam cair dezoito dentes de leite da sua boca.
Se prepare. A partir de agora, tenha sempre por perto um copinho com água gelada, ajuda a parar o sangramento (ui, que medo!)
.
a criança da foto não é a minha prima; é a raphaelle, que mora num lugar onde do céu cai neve!
beijo torto! ;)

Comentários

Anônimo disse…
Foi vc qm escreveu mesmo?
esta diferente sua forma de escrever...
Mas ainda;Continua criativa.
bjs
Aline V. disse…
ahh que saudades de qdo eu ficava com janelinhas no sorriso...heheheh e a fada do dente??? hehehe

beijokassss
GrandeR@O disse…
nossa bons tempos
me lembro q um garoto arranco um dos meus com um soco . . .
briga de muleque
uhahuahuahuahu
adorei o seu texto
bjus
Rafael disse…
Eu já engoli um dente de leite.
Caio Timbó disse…
Meus dentes de leite foram tudo pra cima do telhado da casa da minha mãe!
Crendice do interior!:D
Flor disse…
Como Caio jogava meus dentes pra cima do telhado de casa! auhauahuahaua
Sempre funcionou!
uhauhauhauhauhauhauhauha
=)
Linda a Raphaelle!=)

Beijo grande!!!
Tiago P. disse…
Nossa, vc me levou pra bons momentos agora. Quase todos os exemplos que vc deu aconteceram cmg. Já engoli dente, já arrancara, já arranquei, já mordi maçã do amor e o dente ficou lá preso... Já caiu de tanto que balancei.

De fato, os dentes de leite tornam as crianças corajosas. Elas suportam a dor, se lambusam com seu próprio sangue se sentem heróis quando arrancam finalmente. Salve a fada dos dentes!

Postagens mais visitadas deste blog

Carta para o meu avô

tereza, não ames!

há de se ter um jeito