três faces de diferentes Andrades

Um Andrade disse:
"Nada de revolução: o papel impresso é mais forte que as metralhadoras". E assim definiu a missão é o poder dos homens de letras.

Outro Andrade disse:
"Não, meu coração não é maior que o mundo.
É muito menor.
Nele não cabem nem as minhas dores.
Por isso gosto tanto de me contar.
Por isso me dispo,
por isso me grito,
por isso frequento os jornais, me exponho cruamento nas livrarias:
preciso de todos."

Mais um Andrade disse:
"Eu sou um escritor difícil
Que a muita gente enquizila,
Porém essa culpa é fácil
De se acabar duma vez:
É só tirar a cortina
Que entra luz nesta escurez. "

Um Andrade é José Oswald de Andrade.
Outro Andrade é Carlos Drummond de Andrade.
Mais um Andrade é Mário Raul de Moraes Andrade.

Nos meus primeiros contatos com a literatura, achava que Mário, Carlos e Oswald eram irmãos. Tinha motivos para achar isso. A diferença de idade entre eles não era grande: Mário nasceu em 1890, Oswald em 1893 e Carlos em 1902 e tinham o mesmo sobrenome artístico. Mas, quando a curiosidade não suportou mais os limites dos livros de literatura do colégio, fui atrás da história e descobri que de fato eles não eram irmãos.
Endireitei uma conclusão torta da minha vida de palavras.


beijo torto!

Comentários

GrandeR@O disse…
Nossa antigamente todos tinham essa duvida
hehehehe
nossa mui bom esse post
bjus
Este comentário foi removido pelo autor.
Lili disse…
é eu tb achava que eles eram irmãos...decepcionante qdo a gente descobre que não tinham nada a ver um com o outro né? rsrsrsrs

beijokas
Bertonie disse…
Eles REALMENTE parecem ser irmãos, hm.
Se bem que eu nunca ouvi falar do Raul Andrade, rs.




beigos mil
Tiago P. disse…
Acontece muito.

Eu qdo era criança achava que a Sula miranda, Carmem Miranda, e Roberta Miranda eram irmãs tbm. hehehe...

=P
YullyAngel. disse…
quanta coincidencia de data e nome artistico! oO

Ambos os 3 eram maravilhosos!
Eternizados...

BJu
Nathália disse…
nossa, também! é muita coincidência mesmo! Mas os 3 são excelentes :D

Postagens mais visitadas deste blog

tereza, não ames!

há de se ter um jeito

Carta para o meu avô