A minha paz fica. O resto pode levar.

Levem tudo, mas deixem a minha paz.
Ladrões não são humanos burros. Sabem que o celular está em um bolso e o chip em outro, que dentro do carro tem a bolsa falsa, que só tem um batom, um absorvente, para ficar bem pessoal, e dez reais e a bolsa verdadeira que está embaixo do banco ou lá no porta malas. Sabem que o dinheiro muito está por dentro da calça, na calcinha, na cueca e no sutiã. Não estou revelando nenhuma novidade. Isso todos sabem. Já se tornou hábito trancar todas as portas, fechar todas as janelas, esconder todo o dinheiro, deixar o celular em casa e usar tudo barato, por que, se levarem, o prejuízo é menor. Não vou aqui tentar solucionar esse problema social, que tem raízes profundas numa terra onde o objetivo é sobreviver. O jogo é do medo. O medo de ser assaltado, o medo de ser preso, o medo de morrer e o medo da consequência se ficar vivo. "O bagulho é doido", disse MV Bill. É doido, acontece todo dia e está entrando na seção das normalidades. Quando se tornar normal de vez, ser bandido vai se tornar algo congênito e ocorrerá uma evolução nos humanos, os tornando mais espertos e capazes de tramaram estratégias de fuga melhores. Isso está sendo uma grande hipérbole, mas é com os exageros que o medo do futuro surge. Ora, para entrar no jogo basta ter medo! Mas o medo nos deixa mais esperto, dilata nossa púpila no escuro, perdemos o sono e ficamos pálidos que nem fantasmas, é para assustar mesmo, e assim alguma coisa poderá e tem que ser feita.
Ou então esqueça tudo isso e leve tudo na boa, ou se declare um "não apegado a coisas materiais", ou seja solidário, ou invente a moda do "só preciso do oxigênio. Fique livre para escolher. O importante é justificar de algum jeito e não ficar chorando ou alimentar alguma síndrome. Demore a sair do carro e não ative o alarme, deixe a porta da cozinha aberta, use relógio de grife, tenha um celular novo, não segurare a bolsa com força, abra a carteira na rua e mostre todo o dinheiro que tem. Facilite e diga: pode levar, irmão, faça bom uso! Se cuidar, vai durar que só. Qualquer dúvida, venho aqui todo dia. Fale sorrindo, não esqueça.
Levem tudo, só não levem a minha paz.

Comentários

Paulo Tamburro disse…
OI BELLE, para mim este seu PS era inteiramente desnecessário.Descobriu a razão?

Vamos em frente: olha eu achei que você esqueceu- como diriam nossos avós- neste rol de dicas e conselhos, como se rouba o coração de uma mulher.

No meu blog, tem meu e-mail, se puder dar uma orientaçãozinha eu lhe agradeceria. rsrs.

Como tenho, plema consciência que nascí torto este será meu blog de cabeceira.

E para começar, serei seu seguidor.
O Juízo Final vem em menos de 10 anos, então eu estou numa boa desde que fiz finalmente o Crisma em 2007, aos 32 anos de idade. É, fiz tarde, mas depois de muito estudo de uma pá de religião, de modo que, ao concluir que o Catolicismo é a que se aproxima mais da Verdade, estou firme e não abro de ser Católico.
Não creio em Inferno, mas metrópoles são o Inferno. Por isso vivo na roça.

=D
Marcos
Bertonie disse…
Infelismente não tenha a mesma 'paz' que você.
Aonde eu vivo não é metrópole, mas também não é interiorzão. Entendo sempre há uma chance de assaltos e talzz.
Vivo inseguro quando ando no centro.
Não coloco dinheiro na carteira e nada que faça volume no bolso.
Até cueca tá valendo (como você mesmo disse, rs).
Mas por mim podem levar tudo, menos minha vida, HAHA'.


beigos mil
Welma de Assis disse…
"não apegado a coisas materiais"
"só preciso do oxigênio"

O ser humano sempre se adapta!

Acessei seu blog por sugestão de uma amiga.Ela estava certa, ele é muito interessante!

:)

Welma de Assis
Tiago P. disse…
Complicado isso, mas é a mais pura vdd. As pessoas não são nem tem as coisas que querem pelo medo de serem roubadas, agredidas ou coisa do tipo. É triste...
m.milena :) disse…
por isso que grande parte dos meus relógios são de mentirinha e meu celular é de 149 reais.. aeuih

êta realidadezôna desse mundo de hoje, vergonhosa e medonha.
Aline disse…
O segredo é encontrar a paz mesmo com todos esses medos. ;)
E eu diria que podem levar tudo mesmo, inclusive porrada!!! Hehehe!
Thiago Assis disse…
é a Filosofia do Medo, que passou a ser vendida pelos EUA há uns anos atrás e o Brasil importou, como sempre costuma fazer.
Essa mania de programas como o do Datena na Band, antes na Record, e que foi se espalhando por outras emissoras, até nas pequenas de alcance regional...
Mostram a violência, banalizam a violência, lucram com a violência... e o medo do povo só movimenta um comércio em torno da falsa proteção, enquanto o problema sério vai aumentando em PG, como uma bola de neve...

Sinceramente não vejo como voltar atrás disso tudo.


www.thiagogaru.blogspot.com
Avilla Filho disse…
Ér, o problema de violência cresce bastante em países de terceiro mundo e emergente, nós, inclusive, exportamos marginais para países mais desenvolvidos. Sim, ninguém sai por ae com algo de valor exposto, e acredito que os marginais saibam que, muitas vezes, intocamos nossos valororos itens em locais cada vez mais obscuros, mas acredito que contamos com o mínimo de moral do nosso algoz para não ir "bulir" nesses locais. Tentando fazer com que ele se contente com nossos pequenos mimos exposto. O problema é que, muitas vezes, as ordens se invertem. Já vi casos do ladrão chamar o assaltado de vagabundo e as grades de proteção de uma residência acabar por se transformar na prisão das pessoas. Meu pai é do modo de pensar que não devemos sofrer privações porcausa de bandidos, sim, ele sai por ae com coisas de valor, e muito estranhamente, nunca foi assaltado, acredito que ele deve ter suas manhas.

Postagens mais visitadas deste blog

tereza, não ames!

há de se ter um jeito

Carta para o meu avô