A fita, o vestido e a jaqueta.


Lidu sentou na parada do ônibus. Tinha mais duas pessoas, mas ela não se importou com isso. Uma fita vermelha envolvendo o pescoço e unindo as pontas em um laço, um vestido floral e uma jaqueta roxa a deixava divertida entre tantas camisetas de um cor só e calças jeans azul. Vermelho, flores e roxo não é lá uma combinação que agrada a todos. Mas tal combinação agradou Lidu e a deixou linda. Em outra pessoa, poderia não ficar a mesma coisa. Quem sabe, delicada, mas linda não. Linda só Lidu ficava. Um velho vento úmido trazendo notícias da chuva batia em seus cabelos. Lidu não se incomodou; continuou com a mão no queixo e soltou um sorriso tão discreto que as duas pessoas de óculos escuro que estavam por perto não puderam perceber. Quem estivesse sem pressa e usasse uma combinação fora do normal perceberia. O ônibus apareceu na esquina. Lidu se levantou;o vento insistiu em levantar as florzinhas do seu vestido, mas, dessa vez, segurou desajeitadamente o vestido e fez uma cara de dona das flores. Ora, seu vento, não venha levar as únicas flores que me restam. O vento riu da brincadeira e percebeu que Lidu estava linda e sem aquele vestido não seria a mesma coisa. Ele se aquetou. O ônibus parou. Lidu subiu e não olhou para trás. Ajeitou a fita vermelha e tirou a jaqueta roxa. Que calor, meu Deus!
.

Comentários

Amanda disse…
a Lidu tava linda meeeesmo ;P e realmente, o tempo tá quente ultimamente ;P
ehuehehehuuhehue
aaaaamo
Lidu, li dô um bom dia.

Lidu é nome sem gênero, isso é legal.

.
Lili disse…
essa historinha me lembrou uma amiga minha da faculdade..certo dia ela apareceu com uma saia laranja comprida até o pé estilo indiana, ninguém ficaria bem com aquela saia, mas ela estava linda....o estilo faz a pessoa...rs

beijinhos
Caio Timbó disse…
Lidu é poeta?
Uma vez ouvi falar que eles tem essa liberdade de fazer o que lhes vem a mente, de fazer o que acham bonito.

adorei
Adorei o texto!
Realmente muiito bom!

Lidu tem um pouco de mim. Esse jeito de se vestir e se sentir bem não importa o que pensem.. e como Lidu, sempre ficamos bem. rsrs

Beijos, e muito obrigada pelo comentário no meu blog. Estou realmente muiito grata.

;*
Lêe Oliveira
m.Leal disse…
eu nao vou ler agora, pq to apressada.. mas passei aqui pq faz SECULOS que nao venho ;/

vim so dizer que eu PROMETO ler toooodos os textos que foram atualizados :P

te amo branquela de branco :@
Lidu linda! Que história bonita. Pelas características (estilo) de Lidu, ela é bem romântica.

Amei!

Bjim*
.moony. disse…
*o*
que lindinho ^^
adorei ^^
teh +
o/*
Malú disse…
eu ficaria péssima de vestido floral. Lidu deve ser demais.

bjss
Thiago Assis disse…
Tem selo pra ti no meu blog. =]
Kuriozza disse…
Dependendo do dono do olhar, a combinação pode se tornar linda. Também acho que tenho um pouquinho da Lidu em mim.

ps: Lindo Blog. De Link em Link cheguei aqui.
Carlinhos Black disse…
Espero algo melhor a ser lido da próxima. Lidu foi o mais torto possível e este calor paradoxal diante à chuva acabou por destruir até a beleza da coitada.
Thiago Assis disse…
gostei gostei, o vento como personagem vivo ficou muito interessante no contexto fantástico do texto *.*


www.thiagogaru.blogspot.com

Postagens mais visitadas deste blog

tereza, não ames!

há de se ter um jeito

Carta para o meu avô