versão 2


A versão da porta: Lá estava eu, vivendo minha monótona vida. Minha presença passou despercebida e insignificante.
-Despercebida? Você, por acaso, sofre de déficit de atenção? Todo dia, no mínimo, passo por umas dez portas.
-Mas você nunca foi uma porta para saber como é monótona uma vida de vai e volta.
-Tá, tá, prossiga...
Ninguém notou-me, cumprimentou-me; era um nada como sempre, servindo, apenas, como elo de ligação entre a salar da casa e o corredor.
-Dá pra ser menos dramática?
-Senhor Detetive, não é drama, é poesia.
-Poesia...Nunca vi porta fazer verso.
-Se não parar de me interromper, fecharei o trinco e não direi mais nada.
-Olhe o respeite, Dona Porta!
-Que foi? Vai colocar-me dentro de uma prisão e oferecer-me comidas nojentas por meses?
-Tudo bem, me desculpe. Fale logo tudo que viu, rápido.
Enquanto estava trancada, a Mulher se exibia na janela. Não consegui ver para quem ela tanto mexia nos seus cabelos.
-Ela ameaçou tirar a blusa?
-Como é?
-Tirar a roupa, ficar assim, sem nada.
-Seu Pevertido!
-Não sou pevertido; estou apenas investigando com detalhes o caso. Se ela tiver tirado a roupa, fale logo como ela era por debaixo dos panos.
-Não vou dizer nada disso!
-Além de porta, é chata. Continue, continue!
A companhia tocou diversas vezes, mas, somente, na última vez a Mulher foi abrir; quer dizer, foi olhar quem estava atrás de mim.
-Olhar quem estava atrás de você? Nem de vidro a senhora Dona Porta é.
-Olho mágico, nunca ouviu falar dessa inovação?
-Ah, claro! Então explique melhor o que fala.
Voltei minha atenção para o lado de fora. Um homem alto e sem paciência batia-me compulsivamente. Como doeu aquelas socos na minha madeira velha...
-Não estou aqui para ouvir suas dores!
-Insensível! Vou tacar a porta na sua cara para lhe mostrar o quanto doí!
A Mulher, após ver quem estava no corredor, abriu-me com rispidez e o homem alto a empurrou com força e entrou na casa sem dizer nenhuma palavra.
-Não disse nenhum oi?
-Sou porta, mas não sou surda! Não disse nada, nenhum um oi!
-Você é uma porta metida. Termine logo isso!
Devido a minha imobilidade, não pude ver mais nada. Passado alguns minutos, escutei o estrondo e gritos desesperados de um homem.
-O homem morreu?
-Já disse que não vi mais nada.
-Mas você estava na hora do acontecido! Não esconda nada de mim, será pior. Mando alguém vir aqui e lhe arrancar os parafusos.
-Existe o programa de proteção a testemunhas e outra, seu Detetive pervetido, meu olho mágico não sabe andar pela casa!
-Terminou, num é? Oh, porta pra falar! Tchau.
.
versão 3: sua versão (se quiser, manda pra chapeutorto@hotmail.com)

Comentários

Dona Porta fazendo poesia foi uma tirada legal, diferente.
Na possibilidade de publicar em livro ou em outro lugar, revise alguns lapsos de digitação que existem nesta primeira edição.

forte abraço
Marcos
Bárbara Fróis disse…
Muiito bom, vou ver se tenho alguma ideia e se tiver eu mando pra você!
Bejos
-Não sou pevertido; estou apenas investigando com detalhes o caso. Se ela tiver tirado a roupa, fale logo como ela era por debaixo do panos.

Acho que tá faltando um S em "por debaixo do panos.".
Lili disse…
Nossaaaaaaaaaaaaaaaaaa....que legal...rsrsrsrs vou tentar criar uma verãso tb...hehehe

beijokas
Muuito bom !! :D

Parabéns! Eu vou ver se consigo fazer uma versão ! ;D

Beijooooss
Lêe Oliveira
( http://oleeh.blogspot.com )
Camilla disse…
Gente, adorei a interação com o terceiro episódio!

Beijos
Lucas disse…
-Existe o programa de proteção a testemunhas e outra, seu Detetive pervetido, meu olho mágico não sabe andar pela casa!

hehe gostei do texto todo mais essa fala é a melhor hehe

bjxcxx vi o videos da clarice ameiiiiiiiiiiiiiii obrigadooo
magico de oz disse…
-Sou porta, mas não sou surda! OWNED
caraca, será que a vizinha não viu nada? ou o jarro de flores da sala? ou sei lá, to curioso :x

osias
Aline disse…
Acabei falando a minha ideia nos comentários mesmo. Mas fiquei mais intrigada pelo acontecimento do que pelos narradores. Oh curiosidade!
Minnie_ disse…
"Além de porta, é chata." Esse detetive é um gênio!
Thaís A :) disse…
Ah, adorei. Gostei dessa porta, HAHA.
Criativo o texto :*
Isabelle,

Enviei a versão do Gato e a versão da Cachorrinha para o teu e-mail torto hotmail.

=D
Marcos
.moony. disse…
huhushushus
adorei essa Dona Porta xD
bju
teh +
o/*

Postagens mais visitadas deste blog

tereza, não ames!

há de se ter um jeito

Carta para o meu avô