conversa de janela


Sou uma filha da mãe irresponsável que não cuida direito nem dos dois cactos que ficam na janela da cozinha. Bem, eu dou água para eles a cada três dias, pego no jarrinho, dou uma olhada se não tem bicho e...acho que só. Uma vez, até tentei conversar com eles, falar como foi meu dia, dizer que tinha alguns livros para ler, mas nem se mexeram; ficaram parados que nem cactos. Ora, eles são cactos! E não tinha vento na cozinha naquela noite.
Cactos são plantas xerófilas, nem precisam de tanta água. Por isso, eles deveriam me agradecer. Enquanto a maior parte dos seus semelhantes e familiares estão no meio do sertão, vendo água uma vez por mês e pensando que é lágrima doce, no sol, absorvendo e guardando com todo cuidado qualquer gotinha de alguma coisa, esses cactos folgados da janela da cozinha estão na sombra, tem água pra tomar banho, beber, fazer chuva artificial, jogar um no outro e ainda ousam dizer que eu não cuido deles direito.
No dias que eu chego tarde, cansada, com uma cara de quem precisa urgentemente dormir por vinte horas, eles ficam parados, com uma aparência ótima; um dos meus cactos, já que dorme doze horas por dia e só pega sol sete horas da manhã, tem uma 'pele' maravilhosa, de um verde brilhoso, invejável. Eles podem dormir tarde e acordar mais tarde ainda sem se preocupar em chegar antes que o professor te dê uma falta. Não precisam pegar ônibus lotado - quando eles precisam mudar de lugar, eu coloco um jarrinho em cada mão e os levo até o lugar desejado, sem trânsito, sem gente suada se esfregando neles.
Se eu fosse uma pessoa ruim, poderia colocá-los em um lugar sem ventilação e umidade, onde até cacto morre de sede. Ora, eles são cactos! Não, isso seria assassinato e eu não sou uma pessoa ruim. Dou sombra, água fresca, o direito de presenciar as minhas idas a cozinha de madrugada e escutar meus pensamentos audíveis encostada na janela deles e esses cactos ainda reclamam.
Que dia é hoje? Já ia me esquecendo! Faz três dias que não coloco água nos meus cactos. Benedito e Valentina devem estar se contorcendo de sede. Cactos mimados dão muito trabalho. Ainda bem que minha mãe cuida deles.
.
pensamento torto do dia:
Quem não acredita na sorte, nunca abusou dela.
.
um abraço torto a quem vem aqui tirar o chapéu desse torto blog.

Comentários

Lucas disse…
Cuide dos seus cactos um dia sentirá falta,,,
gostei da humanização que você pos neles, em dormir e acordar ou serem mimados e não lhe agradecer nada ehee

bjxxx
Bárbara Fróis disse…
Aii adorei o texto, muiito bem pensado! Bejos
Lili disse…
aiii meuuuu...aqui em casa tem um cactus na janela do banheiro da minha mãe...quer dizer...na verdade são dois...um deles ganhei da minha amiga qdo eu era criança e o danadinho ainda vive saldavelmente...o outro eu que dei pra minha mãe...eles tb são cactos mimados...mas menos que os seus, já que eles são regados apenas uma vez por mês segundo orientações médicas...rsrsrsrs

adorei o seu post

beijão
Gustavo disse…
jornalismo lhe cai bem ^^
Thiago Assis disse…
no sertão ver água uma vez por mÊs é luxo =] estou bem próximo dele e sei que essas plantas são guerreiras da natureza.

fofos os nomes para os cactos =p


www.thiagogaru.blogspot.com
Avilla Filho disse…
o.o
nunca mais vou olhar pras plantas na cozinha da mesma forma.
Tá interessatíssimo, senhorita torta.
Mais uma vez você pegou uma grande besteira do cotidiano e transformou num belissimo texto.
Anônimo disse…
mãe irresponsável "
morda tua língua
m.milena :) disse…
"Quem não acredita na sorte, nunca abusou dela. "
lembro de ti me dizendo essa frase, euaehuiehuih

E essa redação pra se descrever acabou virando pra descrever o dia-a-dia de Benedito e Valentina. essa Bel...
Você possivelmente sofre de ansiedade, essa parada de visitar a cozinha nas madrugadas lhe compromete.
A sorte e o acaso, para mim, dão no mesmo; de modo que só às vezes arisco, quando não tem jeito que de jeito... rsrs
beijó(K)awanami
=D
.moony. disse…
adoro seus textos *-*
rsrsrsrs
esses cactos, hein xD
tem selo pra vc no meu blog ^^
bju
teh +
o/*
.moony.
Minnie_ disse…
Sabe do que eu gosto na sua maneira de escrever?
Depois de um dia puxado, qnd meus olhos estão fechando e meus músculos protestando com a minha teimosia, venho aqui e viajo nas suas palavra...

Eu, que nunca tive um cacto na vida, tive q invejar a vida desses dois!

Um beeijo!
Eu sou ingênuo, confesso. Estou acostumado a ver o lado denotativo da vida, para mim as moedas só têm 1 lado, não é à toa que cursei 3 anos de Engenharia: ou é ou não é, pá pum sem reticências...
Mas, enfim, me formei em Letras, e adquiri um pouco de malícia.

OS CACTOS SOMOS NÓS, QUE ESTAMOS A ABUSAR DA SORTE DE TER ÁGUA EM ABUNDÂNCIA.
Só percebi isso agora, lembrando aleatoriamente da prosopopeia divertida dos teus cactos brincando com a água; pensei: essa imagem infantil não seria gratuita num texto de adulto.
É, no caso do teu blog, tenho de ler sempre com malícia conotativa.
=D
beijó(K)awanami
Princesa moderna disse…
Cara... Teus textos tem tantas coisas lindas encondidas em palavras com vários sentidos... Como falam... As pessoas entendem aquilo que querem ou que precisam entender...
Acho que muitas pessoas são como seus cactos... Estamos abusando da sorte!!! a água está acabando e mesmo assim continuamos esbanjando! Amei muuito!

Postagens mais visitadas deste blog

Carta para o meu avô

tereza, não ames!

há de se ter um jeito