voltando para o mesmo lugar


Não me importa qual dia da semana era. Devia ser um sábado, ou uma segunda; não me lembro; era férias. Chovia fraco atrás da janela e um vento frio invadia o quarto e me envolvia, aumentando aquele sono preguiçoso que te gruda na cama de um jeito incomparavelmente confortável. O sono já tinha ido embora; restava aquela falta de coragem de encostar os pés no chão e caminhar sem rumo pela casa. Não tinha nada marcado naquele dia; nenhuma obrigação a cumprir; nenhuma visita a receber; nenhuma regra a seguir. Estava sozinha, num dia de chuva, com preguiça, em casa. Me sentei na ponta da cama, com o lençol enrolado no pescoço; deixei a cabeça cair para trás e senti os músculos se esticando, os ossos indo para o lugar, após muitas horas deitada. Nenhuma dor incomodava minha preguiça. Me levantei, fui até a porta do banheiro e desisti de entrar lá. Não é lei escovar os dentes assim que acorda; nem sabia, ao menos, se estava mesmo acordada. Rastejei até a sala, peguei incoscientemente o controle da tv e me joguei no sofá. Não sei se era sonho ou se era uma vontade incontrolável de ter alguém comigo ali mexendo nos meus cabelos sem pressa e sem dizer, a cada minuto que passava, que tinha que ir embora. Não tinha ninguém comigo ali. Ninguém apertaria a campanhia aquela hora apenas para me fazer companhia. Eu estava sozinha, com preguiça, numa manhã chuvosa e me arrepiando a cada vento que conseguia entrar pelos espaços do lençol. Liguei a tv e a voz do Mickey invadiu meus ouvidos. Há quanto tempo não parava para assistir aqueles desenhos animados repetidos desde a minha infância. Mas isso não me importava; apenas queria que alguma voz percorresse as paredes daquela casa e me fizesse alguma companhia. Fui até a cozinha e pensei em fazer café; só pensei, daria muito trabalho - esquentar água, depois esperar esfriar um pouco para não queimar a boca. Um copo de leite gelado com chocolate numa manhã gelada. Imaginei alguém falando perto de mim: não se preocupe, vá se deitar, farei algo para você comer. Isso já era delírio. Meu lugar era lá, na minha cama, maturando o meu sono fingido. E foi isso que eu fiz. Desisti do leite e voltei para o lugar do qual não deveria ter saído. Fui até a janela e notei que o sol decidiu acordar, transformando as poças de água ou de lama em superfícies refletoras. Fechei a cortina e impedi que a luz viesse acabar com aquele lugar gelado que era meu quarto. Me deitei e não me recordo mais de nada.

Comentários

fabiana disse…
A perfeita descrição da preguiça em último grau - que cena familiar... E como é bom ficar na cama nessas horas!
Lucas disse…
Hehe será que foi só um sonho hehe às vezes me dá preguiça até de voltar para cama hehe durmo na sala mesmo hehe perfeito seu texto!
bjxxx!
Marianna Neves disse…
Adorei o texto. Como a fabiana acima citou: "a perfeita descrição da preguiça!". Creio ser isso cotidiano de muuuuitos. Sorte sua poder voltar a dormir, e qd isso não acontece?! Ai, ai... Dá uma dooorr!! hihihihi
Ótimo dia pra vc.
Bjinhos.
Thayná disse…
Nossa isso é realmente familiar, se não me engano, fiz ontem!
Tá perfeito.São minhas únicas descrições à altura.
Beijo
Malú disse…
ás vezes não me resta nada a não ser deitar e dormir. :)
adorei o texto!
bjs!
Lili disse…
tenho me sentindo bem próxima disso ultimamente...rsrsrsrsrs

adorei a descrição da preguiça...foi perfeito...=)

beijinhos
Tiago P. disse…
Nada melhor do que um dia de preguiça.

Descreveu mto bem, parabens.
m.milena :) disse…
sim né, tu virou mosca e me observou durante quase todos os dias das minhas férias.. só pode! IUAHEUIH :*
Amanda disse…
desculpa se tu escreve bem ;x
ahuahuhuahuahua
livinha. disse…
eu também tenho muita preguiça de fazer um lache de madrugada pra mim, quando tou com fome :X
prefiro dormir pra esquecer da barriga!
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK :X
Fiuza disse…
Não sei o que houve em mim, mas deixei meus olhos lacrimejarem lendo essa crônica e ouvindo "Inverno" da Adriana Calcanhotto!
Capreta disse…
Hum, minhas férias estao desse jeitinho ai; preguiça mode ON. Só dei a louca de acordar cedo hoje pqs ontem chegou visita aqui em casa. Parente pra todo lado! :z

Beijos! :D
D.Ramírez disse…
Texto muito bom, agora, esa foto, espetaculo. Quem viu teve uma visao incrivel. Show de bola.

Besos

Postagens mais visitadas deste blog

tereza, não ames!

há de se ter um jeito

Carta para o meu avô