O palco é uma grande ilusão.
A calma das cortinas fechadas esconde a correria daqueles que dão vida a alguma arte.
Tudo é uma matemática decrescente. Sãos dias de espetáculos para anos de ensaios. São horas de maquiagem para minutos na luz. São dores adormecidas para semanas de antiflamatórios e fisioterapias. São meses de espera, esforço, trabalho, dedicação para momentos incomparáveis de emoção com hora marcada.

Ser um artista é saber mentir liricamente. Já afirmei isso quando falei dos escritores; que são artistas. Os panos do palco - coxias, cenário - são o limite do nosso nervosismo. É lá onde orações são feitas, sapatilhas são ajeitadas, figurinos são revistados, abraços são dados e enquanto uma parte dança, a outra fica torcendo para que tudo corra bem. Quando aquele dupla pirueta que teimava não sair no ensaio acontece, tem uma torcida enorme, que acompanhou os momentos difícies, sorrindo e dizendo "ainda bem que deu certo". Pisar no palco quando as luzes estão acesas, a música alta e a platéia lotada é esquecer os problemas e se concentrar ali. Atrás da leveza, da igualdade, da beleza, do encantamento, está a dor, a ansiedade, os calos ( calo é coisa séria para bailarinas) que são expressados discretamente pelo suor ou pela lágrima que desce sem fazer escândalo. Isso não é exagero meu; imaginar tudo isso sem vivenciar é dolorido demais, mas nem se preocupe, dá para acostumar.
Há os concentrados que dança como se ninguém estivesse vendo; há os tímidos que deixam escapar alguns sorrisos apenas quando o público aplaude; há os despreocupados que se movimenta sem esforços; há os atenciosos que ficam atentos a qualquer erro na sequência para poder acompanhar e não prejudicar o grupo. Há muitos. Há os que não gostam de falar momentos antes de as cortinas serem abertas, ou porque estão concetrados, ou não querem secar a garganta - ar condicionado não é moleza.
E hoje...tem novamente.

Comentários

May C. disse…
existe sensação melhor? ave maria, bom demais... quero passar uma semana dançando! ♥
Kátia disse…
ai bel... queria te ver dançando ¬¬'
e eu sou fã do teu blog mesmo.. tu já sabe disso ;P
beeeeijo mana.. boa sorte mais tarde.
Amo.

/Amanda Borges
m.milena :) disse…
o que foi aquilo, bel? *.*

vocês se garantem muito.. tu é demais, eu já sabia! eaheuhe mas a tua academia, no geral, também é. tá todo mundo de parabéns! gostei mesmo, gostei muitoo :)
Wendell Saraiva disse…
foi maravilhoso o espetáculo! #D
Avilla Filho disse…
Aquele silênciozinho e calmaria antes da tempestade, é o pior de tudo.
Anos de treinamento, preparação física, dores, machucados, treinar o mesmo movimento, as vezes, por horas a fio.
Mas na hora que tudo dá certo e a galera vai ao delírio, parece que

Postagens mais visitadas deste blog

tereza, não ames!

há de se ter um jeito

Carta para o meu avô