Eu até ia escrever, mas resolvi mudar a roupa do chapéu. Como uma criança que troca de roupa todo dia, o torto troca quando ele quer. Ele quer demais, exige demais, me acorda de madrugada dizendo que arranjou uma super ídéia. Tenho que controlá-lo...
Foram muitas e inadequadas tentativas; umas não tinham uma cara torta, eram regulares demais. Outras eu gostava demais, mas o teimoso do chapéu (e o bozo) diz:
-não esse não ficou bom.
-mas eu gostei.
-não é você que vai usar isso. tira logo!
-se acalme, então passo um dia sem vim aqui.
-você nao consegue...
-me testa seu chapéu teimoso!
-oh tira, por favor...
-olha esse...parece contigo.
-deixa eu provar...nossa, ficou ótimo. agora vai embora e me deixa aproveitar minha roupa nova.
.
.

Essa foi uma. A frase eu inventei assim que vi a casinha na cabeça da baleia. É criativa, colorida, mas escura demais e o torto tem medo de baleia.


Esse é lindo, mas o adulto do chapéu disse: eu já estou grandinho! Acredita?

Beijo!

Comentários

bozo. disse…
sempre discuto com esse chapéu teimoso, =x
mas ele sabe q é pro bem dele. =D

Postagens mais visitadas deste blog

Carta para o meu avô

tereza, não ames!

há de se ter um jeito