sozinho acompanhado


Como um bom observador, estou fantasiado de pedão (vem de pedir) de ingressos.
A sala do cinema ainda está vazia. Os ingressos apenas são recolhidos meia hora antes de começar o tal filme. A fila pequena se opunha ao amontoado de pessoas na suposta fila ao lado que permitiria aos fascinados por novidades assistir o filme de estréia. Certa e desconfortavelmente, a sala ficaria lotada, com pessoas ocupando todo espaço vago entre as paredes. O importante era assistir e contar a sua visão crítica distorcida sobre o filme tão esperado. A fila pequena era uma descompromissada fila. O casal apaixonado pouco se importava se alguém parasse na frente com um saco gigante de pipoca. As crianças corriam pelo saguão, despreocupadas, uma vez que o ingresso estava com os pais; estes conversavam e até riam das correrias infantis não se assustando quando a entrada foi liberada. A sala do cinema era suficientemente grande para suportar aquela resumida fila de pessoas ansiosas por boas risadas.
Os ingressos começaram a ser recolhidos; a menina segredou para a mãe a vontade de ir ao banheiro; o menino aperriou o pai por um saco de pipoca e um copo de refrigerante; o a namorada revelou seu desejo, e olha que nem grávida ela estava, por chocolate e o namorado, sorrindo, foi comprar um de cada tipo. Enquanto os alvoroçados pela estréia se esmurravam no pequeno espaço por onde todos iam passar, na extinta fila pequena, as pessoas só se preocupavam com o relógio, com a vontade de comer e com aquela sensação incômoda e iludida de querer fazer xixi.

Como um bom observador, estou sentado em uma cadeira sem braços, um banco, na verdade, bem na frente daquele retângulo branco, observando a pequena fila se acomodar.
Faltam vinte e cinco minutos para começar o bendito filme. Olha, uma família. As crianças querem sentar bem na frente; os pais delas tentam fazê-las entender que sentar atrás é melhor, dá pra ver toda a tela sem ficar com dor no pescoço. Evitando uma discussão, sentaram no meio. Sentaram em uma fila do meio, uma cadeira depois do começo da fila, uma cadeira distante do corredor, me entende? Deixaram uma cadeira vaga para quem entrasse sozinho e não quisesse assistir ao filme tão sozinho. Um casal de namorados...buscaram as cadeiras finais, bem no cantinho, o mais escuro possível. Espero vê-los quando terminar o filme arrumados do jeito que chegaram...Quatro amigos, deixa eu ver onde vão se acomodar...na penúltima fila, uma cadeira sim, uma cadeira não. Ou eles estão esperando alguma namorada, amiga, ou fizeram isso para mostrar para quem perdesse tempo olhando para eles que não gays e não vieram se agarrar no cinema. Outros casais, um pai com a filha, uma tia e sua sobrinha (a sobrinha logo gritou, "tiaaa, quero me sentar ali", então sei ao certo quem são, uma tia e sua sobrinha). Adolescentes, mais uma família grande, outro casal, mais crianças. Bem, ninguém entrou sozinho. Por acaso, colocaram alguma plaquinha na entrada dizendo que era terminantemente probido entrar sozinho? Olha, se os sozinhos vier, têm muitas cadeiras solitárias ao lado de uma família. Eu estou sozinho, mas estou observando. Então, nem estou tão solitario assim; ver acomodações é bem divertido, apenas quando nenhum solitário entra aqui atrás de rir acompanhado. Se alguém quiser ir, algum dia, sozinho para o cinema, é liberado; não vao lhe barrar na entrada pedindo um documento oficial constatando o seu interesse num lugar tão movimentado.
Para comprovar como não faz mal ir só, vou fazer isso agora e depois conto como foi.

Comentários

Camilla disse…
Fui no cinema ontem.
Chorei que nem uma maluca vendo Marley e Eu...

Beijos
Lucian Dolor disse…
Você é do nordeste? Suas gírias não me são estranhas(aperrear).
^^

De todo jeito. Gostei do template que você escolheu. Bem "neo clássico"
bozo. disse…
ir pro cinema sozinho , as vezes, é muito bom. ^^

já q tu aperreou tanto, amo vc cristhinne. ;D
;*
Lucian Dolor disse…
Hehe...
Você respondeu no blog da minha namorada. O meu é esse daqui: ventruehouse.blogspot.com

Mas e aí? Como foi o filme?
João Medeiros disse…
eu acho ath melhor ir sozinho no cinema - o grande problema eh sair sozinho - e nao ter chance de convencer ou ser convencido- quem sabe ateh concordar - isso q fica meio deprimente
Prefiro muito ir no cinema sozinha as vezes! E adoro filmes.. assisti Crepusculo e AMEI!
beijinhos!

Postagens mais visitadas deste blog

Carta para o meu avô

tereza, não ames!

há de se ter um jeito