Aqui é o lugar do capítulo 7, mas conversei com o chapéu e ele deu-me de presente de natal um espaço entre as coisas do Eduardo.
Passei boa parte da madrugada lendo sobre o que muita gente acha sobre o natal, vendo muitas fotos do papai-noel, muitos gorros vermelhos espalhados por inúmeras cabeças e opiniões variadas - filosóficas, pessimistas, otimista,gulosas, esperançosas, emotivas...
O mês de dezembro já é por si só uma grande euforia. As crianças estão de férias e sentem livres pelo fato de ainda ter janeiro todo para fazer o que quiser; o tal do décimo terceiro aparece e salva muitas vidas; a casa está toda enfeitada de luzes coloridas e estrelinhas, sininhos na porta, na janela, no banheiro, na televisão, na cozinha, no corredor, na escada, no seu pescoço (esqueci algo?); tem delírios imaginativos sobre as comidas que terão nos dias seguintes; tem o contaminação de mensagens copiadas no seu email; tem o recebimento de escassas e singelas, e cada vez mais difícies de serem escritas, cartas; tem as listas utópicas do objetivos a serem cumpridos; tem muita coisa; tem até pessoas, como eu, escrevendo sobre ele.
Na minha cidade não neva, nunca vi trenós pelas ruas, a maioria das casas não tem chaminés, não tem botas empeduradas nas lareiras, meu pai já não se veste mais de papai noel, não tenho mais presente ao lado da cama e estou pouca preocupada com a quantidade de comida que vou ingerir. Mas, mesmo assim, é natal e eu gosto bastante dele.
O encanto de filmes natalinos não me apareceram ainda. Acordei tarde, assisti Harry Potter, O pequeno príncipe, de 1974 (assistam, é um bom filme), joguei uma partida, que durou uma hora, de uno com o meu irmão, deitada no chão e com os pés na parede (a parede é cinza e meus pés estavam limpos). Não participei dos preparativos alimentícios da casa da vovó, mas fiquei muito satisfeita com a barra de chocolate amargo que comi quase toda. Não comprei roupa específica para hoje e como não tenho dinheiro (estou falando do suposto dinheiro que eu não tenho; não é dos meu pais) não comprei presente para ninguém. Antes de ir, dou uma olhada nas minhas coisas e vejo se tem algo que pareça com alguém; se tiver, eu dou; receber um presente que não causou dúvidas ao comprador, mas sim achado quando se estava arrumando a bagunça, é muito melhor e o receptor guarda com muito mais carinho. Tenho presentes assim; lembro de quase todos e estão guardados. São coisinhas pequenas, insignificantes para a pessoa que o derruba no chão, simples para quem dá atenção a coisas grande demais e confortante para quando bate uma saudade.
Bom Natal para todo mundo.
Chapéu, meu amigo, bom natal e muitas palavras para ti.
Para as pessoas que visitaram o torto, durante os seis primeiros meses de vida dele, sinto lhes informar que vocês estão tortamente contaminados pelas maluquices do chapéu. Saibam também que o chapéu é louco para visitar a cabeça de vocês, bater uma foto e colocar aqui. Mas, como muitos estão longe, se bater uma foto com qualquer chapéu, ele fica feliz do mesmo jeito. Não esquece...entorta o chapéu na hora da foto.
ah, um beijo pro bozo, o revisor, leitor, incentivador, opinador (mais um neologismo para a minha lista) e crítico literário dos textos.

Comentários

bozo. disse…
natal é legal =X
maaas a melhor parte é o beijo pra mim. *.*
estou super emociondado com isso (foi pq ela pediu. =x)
né bel?
bozo. disse…
e como eu tou legal hoje, vou comentar mais de uma vez =D
te adooro maluca. ^^
bozo. disse…
ah! Feliz Natal viu?
quero um presente desses q parecem não ter importância nenhuma, ^^
bozo. disse…
tá bom por hoje. =D
Lucas disse…
"Se tu vens às quatro da tarde, desde às três eu começarei a ser feliz."
Antoine de Saint-Exupèry

Lembra desta frase? hoje optei em trabalhar pela manhã e sorri ao ser que você entrou no meu blog logo cedo... é você aprendeu direitinho com a raposa...

Sua vespera de Natal foi perfeitaa, olha quantas coisas simples que você terá para se lembrar... um grande quadro se faz em seus pequenos detalhes...

Te deixo um presente neste Natal: Um grande abraço!

Quando olhar as estrelas hoje... todas sorriram para você...

bjxxx
FELIZ NATAL
m.milena :) disse…
feliz natal, bel..
feliz natal, torto..
gosto muito de vocês :DDDDDDDDD
colorido disse…
feliz natal amiga mais louca que já tive.
e vou escrever uma frase que pode parecer clichê, mas que toooodos os NOSSOS (hehe ;x) sonhos se realizem no proximo ano!

:@
Avilla Filho disse…
É, mesmo para pessoas crescidas que não acreditam em papai noel e nao tem a tradição na família de trocar presentes( excepto por brincadeiras de amigo secreto) o Natal é bom por sua mágica natalina, parece me que todos estão de bem, confraternizando como se, nesses dia, nada fosse ruim!
Eu acordei cedo, assisti Canhões de Navarrone, Patton e Apocalypto( os dois primeiros são antigos e muito bons), consumi alguns Lucky Strike, fui pro PC, me deram os apelitas de linha e fui ceiar. Foi interessante, rolou até uma briga.
Poisé, Natal, mesmo para os crescidinhos, é interessante.
May C. disse…
eu sou doidinha por esse meu sobrinho torto de seis meses :) e pela mamãe dele tbm! :*

Postagens mais visitadas deste blog

tereza, não ames!

há de se ter um jeito

Carta para o meu avô