5. Fique atento enquanto dorme

Estou sozinho em casa. Papai falou com Senhor Neo para dar uma olhada em mim enquanto eles estivessem fora. Meus pais e meu irmão saíram para um lugar onde crianças de menores de dez anos não podem entrar. Meu irmão tem doze; ele foi e vai passar a noite inteira educadamente sentado conforme as recomendações da mamãe. Eu sei que as comidas desses lugares são boas, mas virar estátua pra comer? Prefiro ficar aqui. Ao invés de olhar, Senhor Neo me chamou para a casa dele e fez um sanduíche enorme, sem alface e sem recomendações saudáveis do tipo: cebola faz bem para o coração, cenoura faz bem para os olhos, brócolis deixa os cabelos enrolados...sim e o que faz bem para a fome da barriga? Bem que o Senhor Neo poderia fazer muitos sanduiches para eu montar um estoque aqui no quarto; amanhã, penso nisso. Depois de acalmar minha fome, fui até a instante de muitos, muitos livros. Também tenho muitos livros; no meu quarto tem duas prateleiras de um metro (papai e eu que fizemos) que estão quase cheias de livros. Como nas livrarias, grudada na primeira prateleira, tem escrito num pedaço de cartolina: é proibido mexer, mas se quiser ler algum, pode levar. Entendeu a mensagem? Meus olhos já estavam cansados de tanto olhar livros grudados e organizados, não por gênero, por qual é o mais legal. Não soube achar sozinho o lugar do livros mais legais, mas suspeitei que fosse o canto mais bagunçado, uma vez que ele lia e relia os livros, deixando-os desarrumados.
"Eduardo, venha aqui, quero lhe mostrar esse livro.", "Que livro?", "Esse. Tenho desde pequeno e olha que há muito não sou pequeno.", "Senhor Neo, também tenho esse livro! Ganhei no meu aniversário de...algum aniversário.", "Já leu?", "Não li o final. Li até a página vinte...", "Eduardo, o livro tem 200 páginas! Você mal leu o início.", "Sempre termino de ler meus livros, sabia? Foi só esse...era muito pequeno quando ganhei e é muito grande!.", "E você não é mais pequeno?, "Sou alguns centímentros mais alto...olha só já alcanço seu pescoço", "Quem alcança pescoço é vampiro, Eduardo.", "Senhor Neo, sou um vampiro!", "Edu, vá pra casa e antes de dormir pegue o livro para ler, lhe garanto como vai ser divertido.", "Boa noite, Senhor Neo. Obrigado pelo sanduíche.", "Se quiser amanhã lhe faço outro...bons sonhos, pequeno."
Como essa escada está escura...Pronto, onze degraus; ainda bem que não se rouba degrau Imagina se tirassem um dos meus degraus? Iria acabar com o equilíbrio arquitetônico da casa (papai é arquiteto). Eu teria que subir dez degraus...não, prefiro onze! O livro está na primeira prateleira, o vi ontem quando fui pegar o "manual de segundos socorros", fala sobre como consertar carrinhos. Cadê o livro? Será que alguém tirou para ler? Mas quem? Mamãe não gosta desse tipo de livro, o estranho do meu irmão só lê clássicos da literatura indicados pelo professor, meu pai não entrou aqui. Dizem que livros são mundos diferentes...esse meu livro está no mundo das coisas sumidas e eu não sei como se chega nesse mundo! Nem a lua está no céu mas é lua nova...meu livro não está no meu quarto e nem por isso vou ganhar um livro novo.
Som de violão. Senhor Neo já começou a tocar e bom ir me arrumando pra dormir...dá outra vez uma goteira fantasma saiu do teto e pensei até em vampiros (disse pro Senhor Neo que era um vampiro, mas não é verdade).
No meio da madrugada, um vento forte, comprovando as previsões meteriológicas para esse mês, entrou pela porta da varanda do quarto. Logo, os seus desenhos começaram a voar. Eduardo acordou com um barulho de coisa caindo no chão e dezenas de papéis voando. Cuidou de juntá-los e guardaá-los em algum lugar sem vento.
Quanto papel! Ainda bem que lápis de cor são pesadinhos; se voassem meu quarto estaria igual a uma tela de pintura do papai e teria que fazer a ponta de todos. Mas da onde veio o barulho? Tem um pedaço de madeira amarrado num papel perto da varanda...eu coloquei isso lá, ontem, antes de ir dormir? Eu estou ficando estranho.
.
estou com seu livro.
te devolvo amanhã.
.
Quem está com meu livro? Será que alguém entrou pela porta da varanda? Ela nunca é fechada. Se o papel está aqui é porque caiu de algum lugar. Senhor Neo disse pra eu ficar atento, mas não sei dormir de olho aberto. Depois, pergunto para ele se tem fórmula secreta pra ficar atento de olhos fechados. Esse papel só pode ter vindo do...Eu sempre disse que tinha alguém no terceiro andar, mas não posso sair agora, está tarde e ainda estou com muito son...
.
6. [...]

Comentários

May C. disse…
esse é o quinto capítulo da tua primeira publicação, né? sem palavras, tá demaisssss... eu leio comendo os dedos de tanto suspense e curiosidade!
m.milena :) disse…
esse edu é um maluco! uaehe mass to gostando demais dele, ele gosta de desenhar e é curioso que nem eu :)
Telassim Miller disse…
Nossa...Realmente...O Acaso é gêmeo do Destino né (^ ^)

Agradeço a visita. Foi um prazer conhecer.
Lucas disse…
Oie,
Obrigado por acompanhar meu blog, me enteressei também pela sua história quando eu chegar do serviço vou colocar para acompanhar seu blog hehe amo historias desse tipo...
Teatro Mágico é tudo, faz de pequenos versos grandes ensinamentos!
hehe amo Mário Quintana putz não dá pra entender como alguém escreve de forma tão simples e ao mesmo tempo bonita...

Bjxxx
Smiri disse…
Será que te inspirei nas "previsões meteriológicas"??? rsrs

Bom saber que pessoas podem ter idéias a por meio dos meus textos! E você não vai acreditar! Tive uma idéia pelos seus também!! Assim que eu tiver tempo e postar, te falo! ^^"

Quanto ao jornalismo, formo em 2009 e amoooo! Tomara que você goste também! Boa sorte!
Camilla disse…
É um capítulo melhor que o outro...
Tô doida pra ler o próximo!!

Beijos
gostei do blog!

ainda não li todos os capítulos, mas eu chego lá
rsrsrsrsrs

já tá nos meus favoritos o/

Postagens mais visitadas deste blog

Carta para o meu avô

tereza, não ames!

há de se ter um jeito