quem sabe?

.
.
Capítulo 2
.
Não quero mais você! Desculpe, não quero mais ele. Na verdade, não sei quem eu não quero. Foi só uma forma de prender a sua atenção e o fazer ler o texto todo até descobrir quem eu deixo de querer, ou quem estou querendo, ou quem posso querer. Un poco de audacia y no un nombre común. Nome comum o meu; tão comum que me fez perder o domínio sobre ele. Camila? Qual Camila? A Colombina da Colômbia com seu cheiro de café, o seu Pacífico e os Andes. Colombina do Brasil com seu povo, seu Atlântico e seus opostos. De acordo com as músicas e a tradição, toda Colombina tem o seu Pierrot. Coitado do meu, deve ter se perdido no caminho, ou desistiu de seguir tradição, e foi atrás de uma brasileira! Nunca encontrei alguém chamado Pierrot; nem alguém que tenha Pierrot nos documentos; nem alguém que tenha Pierrot como apelido. Pierrot é um segredo; se é sem saber.; se identifica pelas coisas não explícitas. Talvez colombina é mais do que alguém que tenha nascido na Colômbia. Colombinas iludem Pierrots; elas querem amores que não são encontrados em braços comuns. Eu sou uma, e sou comum; tenho um nome comum e não tem nenhum Pierrot chorando por mim! Quem sabe, sou apenas alguém nascido na Colômbia que mora no Brasil e é colombina apenas na nacionalidade.
Não vou encontrar Pierrots nas ruas; se fosse assim, não teria tanta gente sem amor por aí. O jornal está na mesa; notícias ruins, mortes, corrupçao, coluna social, uma poesia perdida, apelos, classificados...Tem carro pra vender, casa pra alugar, empregos temporários e...gente procurando gente. Essa é boa, a situação está difícil ao ponto de ter amor sendo oferecido nas folhas dos classificados de um periódico mortal!
"Como não tenho muito dinheiro para gastar nesse jornal tive que escrever pouco.Agradeço a tensão do leitor, Pierrot."
Até os Pierrots estão se oferecendo! E eu, um falsa colombina lendo isso. Quem sabe, ele seja um falso Pierrot? Não deve ser tão cara se vender num classificado, tenho um dinheiro guardado.
.
.
Você é um de verdade, ou é mais um falso querendo se passar por um palhaço frânces com um amor medíocre para dar? Se for, não gaste o seu dinheiro respondendo. Mas, mesmo não sendo, se você se chamar Pierrot, tem uma colombina de identidade querendo lhe conhecer.
.
.
Não fique confuso! Veja o capítulo 1 e entenderá o objetivo.

Comentários

Wendell Saraiva disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Wendell Saraiva disse…
Quem sabe?
Quem sabe se alguém algum dia encontrou o tal do amor?
Quem sabe ele exista? Por mais que procuremos, infelizmente nos enganaremos com um falso amor...

Qual o objetivo de se saber do amor?
Quem sabe!


Você é demais Beel!

Postagens mais visitadas deste blog

tereza, não ames!

há de se ter um jeito

Carta para o meu avô