É bom sair na rua no fim da tarde, quando o sol cansa de esquentar nossas cabeças e se esconde. Basta ter um pouco de atenção para notar os comportamentos de quem é capaz de se movimentar sem carro. Tem aqueles que passam a avenida andando, que dá um sorriso pra um conhecido, que até cantarola. Tem aqueles que andam apressados sem ter pressa, olhando para trás a cada barulho estranho, tentando deixar passar quem insiste andar atrás sem saber que está incomodando o da frente. Tem aqueles que estão voltando do trabalho; conhece-se pela expressão cansada, a roupa amassada... Tem aqueles que estão indo trabalhar; estes, conhece-se pelo cabelo molhado, o passo apressado e carreira dada quando o ônibus tal se aproxima. Tem aqueles que estão indo comprar pão, escontram um amigo na rua, começam a conversar e acabam...acabam esquecendo o que ia fazer, não me lembro agora. Tem aqueles senhores simpáticos de chapéu que vão andar e tomar sol para evitar reumatismo. Tem aqueles, os não preventivos, que andam na rua por costume, que vão na padaria conversar com o padeiro, porque não gosta de ver o pôr do sol pela televisão, nem de conversar com telefone, nem de fazer caminhada no corredor de casa. Mas, melhor do andar sem compromisso e pensar em encontrar alguém e encontrar este alguém. Entendeu? É imaginar que aquele seu amigo está passando por você e depois de um quarteirão ele passa ao seu lado e o deixa suspreso com a sua capacidade mental de pensar em coisas que irão acontecer um quarteirão depois. Depois dessa, vai começar imaginar mais coisas...depois aparece.

Comentários

H.Riedel disse…
divino
identifiquei-me com o do "comprar pão" uauhsdufhsa
m.milena :) disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
m.milena :) disse…
adoro encontrar alguém conhecido nos cantos mais doidos e nas horas nais inesperadas auehue :)
Thaís A :) disse…
Ah, eu tenho preguiça de andar :B
Mayara Cristine disse…
acho que, depois de relatos de hoje, acabo de entender o dito cujo encontro relatado implicitamente pelo torto, ou pela torta dona dele, sei lá :D

Postagens mais visitadas deste blog

Carta para o meu avô

tereza, não ames!

há de se ter um jeito