"ah, isso não é plágio do chapeu não, nem irmão, nem primo, nem nada. Apenas uma tentativa de fazer surpresa de aniversário :) e foi resultado de uma tentativa fracassada de pegar a senha do chapeu :~"www.outrochapeu.blogspot.com.
.
Não. Eu não tomei abuso do chapéu e resolvi fazer outro blog! O outro chapéu foi um presente de aniversário. Presente não, foi um carta que, ao invés de receber pelos correios, recebi em forma em blog. Muito bem pensando! Pelo fato de eu estar saturada de papéis, uma carta teria grandes chances de ser perder entre apostilas, tds de física e gabarito de provas e, provavelmente, ir pro lixo ou ser queimada quando este ano acabar. A mente criativa que a formulou foi um alguém que pintou o cabelo de vermelho, tem dezoito anos e é grande o suficiente para alcançar os minhas costelas. E por já ter alcançado a maioridade, e eu não, pensa que pode me fazer chorar logo após de eu ter almoçado e ter vindo aqui pro torto falar sobre o almoço da minha mãe! De repente, me deparo com um texto gigantesco que fala sobre minhas mudanças de humor e minhas demonstrações de carinho por ela.
A atrevida escrevou coisas tão bonitinhas, que o torto, antes de falar do almoço da minha mãe, está escrevendo dela e pensando nela. Então, saiba que eu sinto um tantinho de amor de ti, que dependendo do referencial, é um tantinho enorme. :)

Comentários

Mayara Cristine disse…
Então, saiba que eu sinto um tantinho de amor de ti, que dependendo do referencial, é um tantinho enorme. :)

essa parte tá a mais linda!
e eu fico doida quando eu tento decidir quem é a mais criativa entre tu e a kah! HEUHEUEHE

sou fã das duas! :*****
Milena disse…
se eu 'tremi nas bases' quando li .. imagina tu! hehe :)
acho que a Ká devia continuar postando no outro chapéu, é mais um blogzinho preu ler, e eu sou tão carente de blog de povo que eu conheço =( eu só tenho o teu e o da Má pra ficar lendo.

AH! sou fã das duas! :***** [2]ou melhor, das três, porque eu tbm sou fã da minha amiga má cristine :)

Postagens mais visitadas deste blog

Carta para o meu avô

tereza, não ames!

há de se ter um jeito