Tudo junto, ao mesmo tempo, agora...!A frase veio me como a legenda ideal da situação. Quer dizer, do dia.

.

.

Um inesperado dia. Ao acordar, na manhã de ontem, soube,por um telefonema, do falecimento de minha bisavó. A notícia acabou com minha fome, com meu fôlego. E meu óculos de sol, que, de início seria usado para esconder minha cara de sono, passou a servir como o esconderijo de minhas lágrimas. Por mais que a imagem de minha vó permanecesse constante em minha mente, naquele mesma manhã, tinha uma equipe para representar. Tinha amigos torcendo por mim. Tinha um grande amigo, confiando na gente. Ontem, foi um dia que apenas sorrisos espontâneos sairam de minha boca. Não tinha estímulo algum para disfarçar qualquer que fosse a situação. Não que eu estivesse extremamente triste e inconformada. Ela sofria com uma doença degenerativa, não falava e não sei dizer se me reconhecia quando ia visitá-la. No entanto, tinha um vivo olhar azul. Ora penetrado, ora perdido, ora aparentemente pensativo. E ir em sua casa e não lher dar um beijo, era algo impensável. O fato de ter recebido a notícia tão bruscamente, sem nenhum eufemismo, apenas com um limpo e seco "a vó faleceu" de meu pai, deixou meu dia mais contraditório impossível.

Nessa hora, a pergunta que domina meus pensamentos: evitou o sofrimento dela? Lhe trouxe o tão esperado conforto tão sonhado e imaginado?
A morte é uma palavra apenas. (não acredito que seja um lugar melhor. Se fosse, tinha fila aqui pra trocar de lugar). Não choramos por causa da morte. Chora-se pela falta que aquela pessoa querida vai fazer. Não sentimos saudade da morte. Sente-se saudade, um aperto no coração, daquele amor que se foi. Não queremos a morte de volta. Queremos aquela amiga de volta. Não rezamos pela morte. Reza-se para que aquela alma siga sem pertubação alguma. Não temos medo da morte. Temos medo da forma como o último olhar vai acontecer.
Não queremos que a morte chegue atrasada. Queremos que a vida perca o ônibus e decida ficar por mais um tempo.
Um beijo grande de sua primeira bisneta. E que, a senhora fique bem por aí.
beijo torto!

Comentários

Eu sinto muito mesmo, e acho que nessas horas, palavras nao bastam pra consolar a pessoa, e o silencio talvez seja a melhor coisa.
Tenho pavor de morte, ainda preciso lidar com isto pois um dia terei de lidar de fato, de uma forma mais proxima e direta né.
Até lá, pretendo ter preparo pra isto!
E no mais, com certeza ela tá num lugar muito bom, pode ter certeza!
x)
H.Riedel disse…
Sinto muito, bel. Sinto mesmo, fico meio desnorteado nessas situações. No meio da correria do cotidiano a gente nem pensa nessas coisas, mas quando acontece a gente para pra lembrar da pessoa. O mundo é cruel, ela se libertou de tal crueldade. E com uma bisneta dessas, não há como não ser feliz e orgulhosa. :*
Camilla disse…
Perdi minha bisavó há dois anos e sei bem o que você tá sentindo. Ela tinha mal de Alzheimer e eu até hoje tenho a certeza absoluta que ela tá muito melhor lá em cima ou onde for que esteja.

E ah, quem sabe ela não encontra sua bisavó por lá!!

Fica bem.
Beijos
óó... ela tá bem melhor que nós!
Caio disse…
tu é uma guerreira , e cada dia q passa eu me orgulho mais ainda de ta ao teu lado.um xeru

Postagens mais visitadas deste blog

Carta para o meu avô

tereza, não ames!

há de se ter um jeito