6 horas! acorda!

O sol insistia em entrar pela janela, atravessando a a cortina e atingindo meu corpo cansado sobre a cama. O despertador estava programado para acabar com a minha iludida sensação de fugo do mundo das provas.
Sabia que faltavam alguns minutos para o alarma infernal tocar. Evitei abrir os olhos, mas já estava acordada. Não era obrigada a ir fazer a tal prova, da qual eu quase nada entendia. Embora não fosse um ótimo motivo para continuar dormindo, só sei que se não fosse, teria que aguentar os gritos de minha tia, sobre o fato de morrer de trabalhar para pagar a escola.
Se minha amada tia fosse rica, será que eu poderia faltar à prova? Esta dúvida dominava os meus pensamentos naquela manhã. Imaginei até arranjar um trabalho e com o salário jogar na loteria até ser sorteada. Com isso, pagaria o colégio e faltaria os dias de prova. Melhor, sairia logo do colégio, porque sabia que não iria passar de ano mesmo.
O despertador tocou, e com um pulo saí da cama. Bati com a mão na cabeça para ver se esses pensamentos terroristas saiam da cabeça. Minha vida se resumia à escola, a dormidas e à péssimos boletins. Antes que esqueça, não posso deixar de relatar o fato de ter passado todo o caminho da escola com um livro de matématica aberto. Não sei o que queria com aquilo, talvez testar a minha memória fotográfica, porque, mesmo, disposta a aprender, passava as folhas distraidamente.
.
.




Isso é uma redação do semestre passado. A garota, a qual o texto fala sobre, não sou eu, antes que me perguntem. =P
Por gostar de linhas, coloquei uma imagem especialmente para elas.
Beijo! Boa noite!

Comentários

.Gaby. disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
.Gaby. disse…
Eu ameei essa redação! A minha cara quando fazia 2°, 3° ano...
Sempre queria fugir das provas de matemática... tenho esse trauma até hj! Prova de matemática? Vou ali e num volto nunca maisss!!
Irraaaaaaaaaa! Linda a fotu das linhas... Não sei fazer nada cum linhas mais gostei da fotu sim! Bem feliz e colorida!
bozo. disse…
Ja devo ter tido isso mas num custa nada dizer de novo: Adoro teus textos. =D

Postagens mais visitadas deste blog

tereza, não ames!

há de se ter um jeito

Carta para o meu avô