convivência


Com toda a certeza, você já deve ter passado por alguma experiência que garantiu a verdade acerca da tese que afirma que se relacionar é difícil. Não irei falar aqui sobre os métodos de se viver em paz com alguém, ou como fazer para não brigar com seu namorado e ter um namoro feliz por 10 anos, só colocarei para fora o que meu juízo está concluindo. Acredito que cada um saiba ou tenta aprender como deve prosseguir com a sua vida pessoal.

Tantas vezes, perdemos amigos por pura discordância de opinião e teimosia de ambas as partes. Não estou falando de personalidades diferentes ao ponto de alimentar uma vontade assassina, e sim daqueles que estão ao seu redor, que convivem contigo. Não me convém aqui diferenciar colega de amigo (já que não uso essa distinção), você que, ao ler, faça a sua própria divisão. Há aqueles que dizem por aí que os opostos se atraem, não é? Então, os imãs e as geladeiras podem até seguir rigorosamente essa lei científica, mas quando falamos de pessoas que pensam e mudam constantemente, a lei não é cumprida. Ainda bem. Numa sociedade onde, a diversidade de estilo e personalidade é enorme, temos que ter liberdade de relacionamento, para evitar cabelos brancos, doenças nervosas e garantir a sanidade mental.

Por motivos que eu desconheço e pretendo continuar sem saber, falarei sobre a ausência de uma amiga. Como ela faz falta, não só para mim, mas para um mundo de pessoas. Quando nos deparamos com situações nada confortáveis, chegamos até a sacrificar aquilo que tanto gostamos. Nos mostramos dificeis, fortes, mas quando as emoções que pertubam nossa mente param um momento, a calma e, muitas vezes, a falta do que fazer aparece, nos fazem pensar acerca das palavras ditas, dos gritos soltados com tanta fúria. É quando vem o arrependimento, mesmo que não sejamos o culpado. Não sei se isso se encaixa a ausência citada acima. Apenas, parei e escrevi.
G, espero que volte e nos delicie com a sua alegria de sempre.
-Não discuti com ninguém gente, mesmo que pareça. =]

Comentários

Carolina disse…
virei tua fã, bel!
já te disse, né? to viciaada ;~)
Mayara Cristine disse…
confesso que não entendi muito bem o que tu quis dizer nesse post. principalmente no último parágrafo! mas sobre o que eu entendi... tu é uma grande amiga, bel! e eu te amo =D
Avilla Filho disse…
É, tolerância e flexibilidade são qualidades obrigatórias para termos muitos amigos e poucos inimigos, e para manter nossos lindos amiguinhos também, nós não vivemos em uma sociedade padronizante que generaliza as pessoas, como foram a alemanha nazista ou o socialismo chinês, vivemos em uma democracia; corrupta, porem democracia; que dentro dos limites da ditadura do polticamente correto é totalmente livre, então ninguém é igual a ninguém, podem haver pessoas que concordem em MUITOS pontos, mas igual, impossível.
E nisso, ser flexivel e tolerante é necessário, deixar pra lá um comentário mais agressivo e procurar não conversar assuntos que em você discorda totalmente com seu amigo, faz parte da vida.
E sim bel, realmente parece muito que tu brigou com alguém, uma tal de G, Geraldina, será?
.Gaby. disse…
Ela não briga cum ninguém...nem sei se existe alguém q consiga brigar cum essa minina taum dócil xamada bel.. Axu q a Cris talvez dê uns gritos cum ela só quando ela está serelepe por demais... com certeza essa sua amiga G irá voltar, pois ela certamente admira vc e sentirá falta da sua alegria... me emocionei bastante cum o q vc escreveu... não sabia q álguem sentiria minha falta...vou copiar e colar na minha cabecinha para q nunca eu possa fazer tal besteira de por motivos bestas de raiva me separar de um ser taum único e transparente da alma boa como vc! Amutubeldomeucoração!

Postagens mais visitadas deste blog

Carta para o meu avô

tereza, não ames!

há de se ter um jeito