Onde fica o paraíso? Fora do ônibus.

-Uma inteira, por favor.
-Cadê a sua carteira? Você é estudante, né?
-Sou, mas eu estou sem carteira esses dias.
-Por que?
-Uma inteira, por favor.
-Calma, estou apenas conversando.
-Tem oitenta centavos?
-Não.
-E vinte?
-Eu não tenho moedas.
-Fica mais fácil com moedas, sabe?
-Não sei. Por favor, o meu troco.
-Calma, eu estou pegando.
-Eu estou calma! O senhor que está começando a me irritar.
-Pra que essa pressa, moça? O ônibus está lotado o melhor mais confortável é aqui na catraca.Aproveita, só subiu você nessa parada.
-Minha bolsa está pesando!
-E? Isso não é desculpa. Não vá pensando que alguém vai se levantar para você sentar. Aqui, minha filha, conseguir uma cadeira pra sentar é quase a mesma coisa de ganhar na loto. Não tem mesmo vinte centavos, moça?
-Já disse que não tenho!
-Moça, não tenho vinte centavos.
-Como assim, você não tem vinte centavos?! Essas pessoas entraram como?!
-Do mesmo jeito que você, pela catraca.
-E nenhum pagou com moedas?
-Pagou.
-Então me dê meus vinte centavos.
-Serve bombom, moça?
-Não!
-Calma, moça. Olha o que eu achei! Duas moedas de dez centavos escondidas!
-Idiota.
-Tchau, moça.
...
-Tchau, moça.
...
-Tchau, moça.
-TCHAU, CHATO!
.
.
-Com licença...Com licença, deixa eu passar. Com licença...Vai descer na próxima?
-Não.
-Deixa eu passar, vou descer na próxima. Com licença. Desculpa, senhora.
-Quer que eu segure sua bolsa?
-Não precisa, vou descer na próxima. Se o inferno existe, eu estou dentro dele.
-Disse algo?
-E te importa?
-Com licença...Com licença...Ei, estou querendo passar, vou descer daqui a pouco.
-Eu também vou descer.
-Na próxima?
-Não, só vou descer no final da linha.
-E está fazendo o que aqui na frente?
-O mesmo que você.
-Mas eu vou descer agora! Ainda falta muito pro ônibus chegar no fim da linha.
-Sou prevenida.
-Mas a senhora está quase com o pé na calçada!
-É pra ser mais fácil na hora de descer. Por favor, deixe de se esfregar em mim.
-Eu não estou me esfregando em você! O ônibus está lotado, não está vendo, não?!!!
-Sou mais velha que você.
-Dá pra perceber. E, também, mais gorda!
-Me respeita, filha do diabo.
-Está assistindo muita novela! A senhora fez eu perder a minha parada!
-Perdeu não, ela ainda está lá.

Comentários

João Medeiros disse…
subiu no onibus em marrocos
As Flores e Eu disse…
ocAdorei, fez eu rir um pouco depois de um dia difícil.
Beijos ¥
Erica Ferro disse…
Eu não tenho sorte com ônibus, sempre pego os mais cheios. =/
Legal teu post! ^^

P.s: Que alegria te ver no meu cantinho. Pode voltar quando quiser, viu? ^^
Beijo.
Atreyu disse…
¿¿ =O ??
¡minha filha, ainda bem que você não anda armada!
Ou se não... nessa fúria toda... pessoas não sairiam vivas...
“RÁ”
Mas calma aí... da próxima empurra a gorda pra fora do bus...
Mulher desaforada!!!
=#
ccauan disse…
quanta paz e serenidade! :P
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Adoreiiiiiiiii e ri muito!

Tem um selo no meu blog pra vc.


bjim
Sara.M disse…
Hahahaha, muito bom!
Duh disse…
hahaha,
muito bom.
a realidade só é engraçada por ser trágica hahaha

teh+
Tiago P. disse…
Hahahaaaaa... filha do diabo foi foda. Espero, do fundo do coração, que não tenha sido baseado em fatos reais.

ônibus lotado ninguém merece mesmo. Com gente folgada então... é a treva (tbm assisto mta novela)
jadeamorim.com disse…
Aqui na minha cidade nem tem onibus! uahsaushauhsa
é que é tudo tãaaao longe sabe!
Tenso seu dia! Mas você sobreviveu né?! rs


Beeijos!
Sim, estou bem na roça.

Ah que saudade me falta
da aurora da minha vida,
da adolescência espremida:
metrô de Sampa... -Jamais!


=D
Marcos
Srtª Nily Popy disse…
Me fez rir...acordeii chateadaa hj! ;) boom textooo...bjuux!
mari disse…
Ainda bem que vc não anda armada!!
hehe. 2
Adoreiiii, postei a parte 4 do conto!! Obrigada opelo beijo torto e um beijo doce para vc!!
C. Luz disse…
adoro teus posts. são interessantíssimos, bel! heuheuehu
Bê Matos disse…
que tragédia de ônibus ): eu odeio subir neles, fato. Além de ser desconfortável, estar sempre lotado, ainda tem essas pessoas u_u

gostei daqui. beijos :*
camillecramos disse…
Muito bom!

Atualmente eu tenho uma boa técnica para abrir espaço no ônibus: o telefone finge que toca e eu finjo que atendo... "Ai, não melhorei não, amiga... Essa noite eu tive muita febre... éah, já fui ao médico e ele pediu o exame... ele já recomendou o Tomiflu, disse para eu tomaar mesmo que o resultado do exame ainda não tenha chegado..."

Rsrsrsrs... eu sei que não é totalmente "legal", mas tem essas senhorinhas que atrapalham nossas vidas.

Um abraço
Fernanda Alpin disse…
Agora eu percebo o quanto as pessoas são gentis comigo. Da última vez (a primeira! HAHAHAHAHAHA!) que eu passei da parada, eu ganhei duas passagens inteiras de presente.
Se isso foi um fato, eu acho que você esqueceu de sorrir. Não tem como ser chato com você, Bel.
Saudades!

Postagens mais visitadas deste blog

tereza, não ames!

há de se ter um jeito

Carta para o meu avô