-O que você quer? Diga-me tenho dinheiro suficiente para satisfazer sua vontade...Vamos, peça, não se acanhe. Olha se você nada pedir, afirmo-lhe que ficarei inteiramente chateada. Com o que posso lhe agradar? É grande? Não se importe com tamanho, para tudo tem jeito e dinheiro. Desculpa, estou sendo insistente; vou deixar você pensar um pouco. E agora, já sabe? Peça! Por favor! Eu quero fazer isso por você. Sei que irás ficar feliz. É impossível não querer algo. Todo o mundo quer alguma coisa. Revele-me aquele seu desejo secreto, que você sonha em realizá-lo assim que puder comprar. Diga-me! Prometo-lhe realizá-lo logo. Qual o problema? Está tímida? Pegue, anote neste papel e me entregue, está aqui a caneta. Não tem nada aqui. Você não quer nada? Já estou começando a perder minha paciência com você. Fala logo! Olha, eu vou desistir de dar o seu presente de aniversário e não venha me pedir depois. Não vai falar? Aproveite, é seu aniversário e é nesse dia que você pode pedir alguma coisa e eu lhe dar sem reclamar! É assim? Pois ficará sem presente, tchau.
Virou as costas e quando chegou na porta, ela disse:
-Obrigada.
-Pelo o que? Você não pediu nada.
-Pelos feliz aniversário que você me desejou.
-Eu não lhe desejei feliz aniversário.
-Preferi entender sua tagarelice assim.
-Tagarelice? Como ousa...Estou, aqui, sendo gentil, lhe oferecendo a oportunidade de pedir o que quiser e você fica desconsiderando minhas palavras? Atrevida.
-Atrevida, eu? Pra começo de conversa, eu preciso gastar meu dinheiro com psicólogos por sofrer de 'falta de atenção pobre' que me deixa depressiva por ser rica. Sua carteira não vai me abraçar, seu celular de rico metido que quer aparecer comprando toda novidade da loja que oferece coquetel todo mês, por mais que tenha agenda de compromissos, não vai lhe deixar informada sobre os dias que eu preciso de alguém pra ajudar a escolher a roupa que eu usarei no aniversário da minha amiga, sua conta no banco não vai assistir meus recitais, seu dinheiro não vai fazer festa (bem, dinheiro compra uma festa) no dia do meu aniversário! São seis horas da manhã de um domingo e hoje não é meu aniversário!
-Você está brincando! Tenho certeza que é hoje, você saiu de mim, lógico que eu sei que dia você nasceu! Hoje não é dia vinte três de dezembro?
-Não! Hoje é vinte e quatro de dezembro!
-É mesmo? Desculpa, filha. Acabei com a surpresa. Faça o seguinte, começe a pensar no que você quer ganhar próximo ano, certo?
.
-CORTA!
-Ficou bom?
-Não estava gravando, foi só um ensaio.
-O que?
-Posição, luz, silêncio no estúdio...AÇÃO!
.
.
.
Parabéns, meu irmão! Você sabe, somos estudantes, sem dinheiro, então vou te presentiar com coisas baratinhas, que estejam na promoção, ou melhor, que sejam gratuitas! Eu vou com a tua cara (somos bem parecidos) desde que tu nascestes - eu não lembro disso, mas pra ficar mais emocionante, prefiro dizer que faz esse tempo todo. Mesmo sendo um amor estranho, violento, atrevido, respondão, abusado, nojento é amor e isso que importa - do jeito que está hoje, todo tipo de amor está servindo e o meu é grande, feminino e de graça!. Me aproveite e me respeite, sou mais velha que você, pivete. Três beijos da tua irmã!

Comentários

bozo. disse…
gostei. final inesperado. ;D

bjo maluca. ;*
m.milena :) disse…
eita.. por isso que eu prefiro ser como sou! esse povo muito rico pensa que podem comprar tudo né? e o que as pessoas mais querem é um pouco de carinho atenção.


parabéns pro aniversariante mais fofo do mundo! hihi :xxx
Mayara Cristine disse…
acho que de todos os banhos, esse foi o que mais me impressionou... pela simplicidade, suspense e um final inesperado, como disse o bozo, totalmente! que o dia dele tenha sido ótimo =D
O dinheiro pode comprar tudo, menos as veraddeiras coisas capazes d etrazer felicidade e bem estar!!!

O pior de tudo é que essa galera rica vive e respira tanto, que acham que é essa a única coisas que se pode querer.

Beijos

Postagens mais visitadas deste blog

tereza, não ames!

há de se ter um jeito

Carta para o meu avô