Ter nascido de uma mesma mãe, nos faz irmãos. Não irmãos de sangue, pelo fato de os exames que os médicos nos mandam fazer sempre alegaram tipos de sangue diferentes. Esse título 'irmãos de sangue' é estranho. Fico imaginando uma cena para isso e me vem a mente ou duas pessoas compartilhando uma artéria, ou então pintadas de vermelho numa festa à fantasia que só é permitido a entrada se estiver acompanhado e com algo criativo (ou não) os descrevendo. Irmãos só isso. Essa palavra já carrega consigo algo que eu não sei relatar agora.


Que irmãos brigam, isso não é novidade. Mas também a situação propicia isso. Morar na mesma casa, presenciar diariamente manias nojentas e oscilações no humor sem hora marcada e em alguns casos, dormir no mesmo quarto, principalmente quando se é criança, torna o ambiente um paraíso das confusões. Logo que irmão é bicho folgado, que por ter o mesmo pai e saber que foi a mãe e não o papai noel que deu aquele brinquedo acha que pode pegar sem pedir, sujar, quebrar, guardar quebrado e fazer cara de retardado que nunca viu o brinquedo e não sabe do acontecido quando o infeliz do dono acha a arte. Uma vontade intensa de matar ou então gritar até ele ficar surdo são sensações ativadas no momento.

No entanto, se isso for feito, e se você for o mais velho, vai ser o culpado e ainda vai ficar um mês sem usar o computador, ter o controle do video-game escondido e terá que dormir, antes se possível, quando os gritos maternos começarem. Sabendo disso, é melhor entregar a peste do irmão e dizer tudo que ele fez aumentando umas coisinhas só para ficar com um ar mais...só pra fazer o mal. Faz isso, sem nem encostar o dedo nos cabelos dele. Pronto, é só esperar! Você acaba de se tornar um 'castigador' passivo.

Outra opção é quebrar um brinquedo dele e empatar o combate. Mas isso não tem graça, e não será possível usar sua inteligência. Então, ficar calado, aceitar os atos maléficos fraternais, virar um detetive do pequeno impostor e descobrir algo merecedor de uns gritos e que causará um medo intenso é uma excelente estratégia. Pronto, depois disso, é só começar a chantagem...


Ah os irmãos...só tendo para saber como é legal pedir dinheiro emprestado e não pagar, pedir água nos momentos de fraqueza, gastar os créditos do celular dele, dizer que a roupa dele está horrível sem remorços ou então informá-lo que a namorada é doida e que eu o vi antes dela, então meus direitos são maiores! Resumindo, meu irmão é essencial.

beijo irmão! me inspirei na nossa convivência pacífica de uns tempos atrás.
-IsabelleCristhinne

Comentários

H.Riedel disse…
Isso é só uma fase. Depois os irmãos se ajudam e tiram muitos benefícios disso. (aqui em casa, eu acho que é assim.) >)
flor disse…
a gente sempre se ilude pensando 'a gente já tá grandinho, não precisa mais das brigas infantis', mas não! aqui em casa parece que quanto mais velho a gente fica, mais brigas por besteiras aparece.
o melhor momento é quando a raiva passa, aaaah é só love :D

ps.: o thiago é retartado, puxa a oreelha dele!
bozo. disse…
o bom mesmo é ser irmão mais velho. =D
Avilla Filho disse…
É, sou o mais velho de 4 irmãos( dois meio-irmãos) e com certeza a convivencia causa brigas constantes, afinal, somos seres humanos diferentes convivendo diariamente com o outro, assim, os defeitos se exautam e as brigas são constante, mas sem duvidas, ninguém vai te conhecer melhor e saber melhor como te ajudar, além de estar sempre ali, a ligação entre irmãos é muito maior do que uma possivel semelhança física ou uma genética parecida, é um laço que se constrói por anos e anos de convivencia, e sem duvidas, tudo pode mudar e acabar, mas o que há entre os irmãos, never.
máa :* disse…
é tão bom ter um irmão. mesmo que, no meu caso, ausente! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

tereza, não ames!

há de se ter um jeito

Carta para o meu avô